Isso nunca foi uma prisão
09:59 | Author: § Tatiana Gerivazo
Eu preciso tomar uma decisão.
Sinto os contrastes se acentuarem cada vez mais dentro de mim.
E de fato, o bem e o mal já fazem parte de tudo que vem a constituir o meu ser.
Não consigo crer o quão errado isso pode ser. Mas ainda acredito que há um sentido em algum lugar desta confusão, não vejo como descobri-lo de forma que misture ambos os lados.
Porém, acho errado escolher uma parte da questão e mandar a outra se danar.
Tento ter paciência para quem sabe mais tarde encontrar a resposta para aquilo que tanto anseio.
Mas como aguentar ter que te assistir ir embora?
Como concordar em algo que vai contra minha vontade só porque é certo?
Quero te deixar livre, mas se isso me deixa infeliz o que posso fazer?
É a sua ou a minha felicidade?
Se te amo tanto, deveria ficar feliz com a tua conquista.
Mas acho que isso foi o que nos ensinaram, porque a cada passo que você dá, tenho mais vontade de laça-lo a mim.
Não sou egoísta, de maneira alguma. Mas sempre andei por ai sozinha, você se ofereceu para me fazer companhia e acabou como
uma bengala para mim.
E agora meu bem?
Realmente irá me deixar cair?
Você disse que me amava, e ainda acredito em tudo apesar de já ter me dito e demonstrado que não.
E tenho receio de cobrar tudo o que você me prometeu.
Afinal, porque eu não quero que você vá?
Me acostumei com você aqui, irá ficar um vazio tão grande...
Mas, um vazio ao meu lado ou em meu coração?
Eu nunca consegui descobrir se te amava de verdade. Mas você foi o mais próximo disso que consegui chegar.
E ainda assim o tempo correu tão rápido, eu devia ter me preocupado mais com essa certeza.
Agora não sei se devo prende-lo.
E eu quero tanto acreditar que há um motivo nobre dentro desse desespero e humilhação.
Mas acho que só quero me motivar a escrever mais alguns versos...
E tenho medo de que eles não valham isso.
Nem verso, nem melodia, nem olhar...
Vai ser como se tudo nunca tivesse existido.
Assim, poderei ignorar minhas vontades contraditórias de te querer livre dentro de uma gaiola.
Pode voar, deixe que limpo as penas.
Vou levar algum tempo até ajeitar tudo do jeito que era antes de você chegar.
Mas vai tudo voltar a ser como era antes... E tudo que vou lembrar é apenas que outro passarinho passou por aqui achando que iria querer meus cuidados pela eternidade.
Vá, um dia talvez você chore quando uma caçadora má quiser te aprisionar a força.
Então você vai ver, que valia a pena ficar na pequena gaiolinha do meu coração.
|
This entry was posted on 09:59 and is filed under . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

4 Leitores ativos:

On 7/1/10 7:34 PM , Anônimo disse...

Muito bom, Tatiana! Parabéns! Mais um texto expressivo muito bem relatado. Soube juntar bem as palavras.
"Assim, poderei ignorar minhas vontades contraditórias de te querer livre dentro de uma gaiola." Adorei esta frase!
:*

 
On 8/1/10 11:53 PM , D. Versus disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
 
On 8/1/10 11:54 PM , D. Versus disse...

Sentimental, de forma única e sem derramar-se em breguice desnecessária. Delícia de escrita.

 
On 4/2/10 1:59 PM , Ditame Infame disse...

Algumas partes poderiam ser melhores, mas outras foram SENSACIONAIS. Sério mesmo, Tati... Eu até pensei em colar o trecho que me deixou mais de cara, mas ele era meio grandinho.
Enfim, curti. Sua escrita melhorou MUITO, continue assim. o/