Encarando as Verdades
17:45 | Author: § Tatiana Gerivazo
Está noite eu quero um jeito de transpor minha dor/ Uma verdade tomou conta de todo o meu pensar e eu sei que, nada fará isso passar se eu não desabafar/ Não sei se é medo / De estarem perto de descobrir quem de fato sou/ Medo que descubram antes de mim / Quem eu sou /Medo da verdade pular da minha mente para suas bocas/ E se realmente me decodificarem?/ O quão ruim será estar expostas aos seus dogmas?/Acho que ninguém realmente compreende este pavor/ Uma verdade que vai me fazer crescer/ Mas por que pra isso tenho que sofrer?/ As vezes me recuso a evoluir/ Como me deixar ferir, sem deixar as velhas feridas cicatrizarem?/ Não me diga mais verdades / Ela dói, até pior que uma mentira mal dita/ Eu quero jogar fora a emoção/ Deixar aqui só a razão/ chorar sabendo o motivo/ parar de sonhar com perfeição/ cansei de mentir/ Da verdade eu sempre soube/ Não é por ter conciência dela que deixará de me agoniar/ Como apresentar a realidade a uma ilusionista?/Como acabar com o sonho da padaria?/ Como explicar a uma criança que mentira é tudo aquilo que seus pais lhe contaram na vida?/Sou eu louca por querer mudar minha realidade?/ Como ainda pode me dizer mais verdades?/ Já não sei o bastante?/ Pare de tentar me fazer chorar! Eu quero sonhar! Pare de tentar! Pare de tentar! / E se eu só quiser brincar de sonhar?

Talvez, por Tatiana Gerivazo, mas talvez seja só mais uma mentira.
Você sabe.
10:39 | Author: § Tatiana Gerivazo
Dói ser ingrata.
Dói desejar durante uma vida por alguém e quando esse alguém chega, provar a si mesma que não era nada disso que você queria.
Foi só uma ambição, um desejo... Não devia ter virado realidade.
Mas de tanto desejar, real o sonho se fez.
É inútil se arrepender do sonho, ele te fez tão feliz nas horas de solidão.
Mas como evitar a culpa de ter de abandoná-lo justo quando ele se torna real?
Como não se culpar?
Ele era só fruto de seu sonho?
Será que foi ele quem ouviu seu chamado desesperado nas noites vazias?
Ou ele é mais que só um sonho seu, ele é real.
Ele é um ser humano.
Sim, um alguém que estava próximo e procurava o que você procurava.
Uma coincidência de ambições.
Valeu a pena?
Parecia só uma brincadeira, e no final, brincar de juntar os sonhos deu em um juntar de vidas.
Mas você é sozinha, não é querida?
Você jamais poderia se mesclar a ele.
Você sabe que tem que deixá-lo ir.
E é isso que você faz.
Sem remorso, tirou um peso de si.
Era um trabalho árduo se manter tão sorridente, tão amável, tão sedutora sem nem ao menos querer.
Você jamais devia ter deixado as coisas irem acontecendo.
Devia ter manipulado tudo friamente.
Porque se deixar confundir pela poesia, você sabe como palavras bonitas bem alinhadas são fatais.
Sim, você sabe.
É por isso que ama manipular as palavras, elas te dão poder.
E o que você mais ama, é o fato delas não te atingirem.
Você sempre as lê com tanta frieza.
Mas quando alguém as cita, de forma natural, sem planos, sem truques, sem estruturas poéticas.
Você se vê iludida.
E o ridículo é que tem consciência disso.
Você foi iludida.
Quanto medo, mas qual realmente é o seu medo?
O de achar alguém que te iluda, ou de ficar sozinha para sempre?
Você detesta a sensação de estar sendo enganada e estar gostando disso, não é?
Por isso se afastou da realidade e se escondeu em seus sonhos.
Porque eles são só uma fantasia que te agradam, sem te decepcionar.
Mas o mundo não está sob seu controle como está em seus sonhos.
É tudo imprevisível, e você não quer se abrir de novo. Eles vão te machucar... E você sabe.
Deixa ele ir, você ainda vai encontrar outro que não pareça que vá te machucar. Mas você também sabe que é exatamente este que vai.
Sabe que está se privando por medos infantis.
Sabe que tem que chorar de verdade para evoluir.
Sabe que é só uma criança e está com medo.
É... Eu sei.